Schumacher já teria escrito um testamento sobre os seus US$1 bilhão em 2010.

O testamento elaborado por Michael Schumacher veria seu patrimônio de 1 bilhão de dólares dividido igualmente entre os três outros membros de sua família.

Essa é a alegação do diário argentino Olé, enquanto o coma do alemão após sua queda de esqui no final de dezembro entra na terceira semana consecutiva.



O relato afirmou que o testamento foi assinado pelo ex-piloto da Mercedes e Ferrari em 2010, quando Schumacher retornou à Fórmula 1 depois de três anos fora da categoria.

Ele instrui que sua fortuna, estimada em 1 bilhão de dólares, seja dividida igualmente entre sua esposa Corinna, sua filha Gina-Maria (16 anos) e seu filho Mick (14 anos).

Foi relatado na segunda-feira que a condição de Schumacher, considerada estável, mas crítica, não mudou desde o último boletim médico divulgado há cerca de uma semana.

O jornal austríaco Zurich Tagesangeiger revelou ontem que parte do crânio do alemão foi removida a fim de aliviar a pressão em seu cérebro ferido.

Fonte