China proíbe Battlefield 4 por segurança nacional

A quarta parte do jogo de tiros para computador "Battlefield" foi proibida na China "por questões de segurança nacional" pois tem como enredo uma conspiração militar contra o governo local.
 
O game, desenvolvido pela Electronic Arts (EA) e lançado em outubro, não poderá ser vendido no mercado chinês, assim como qualquer produto relacionado a ele, segundo um comunicado do Ministério de Cultura divulgado nesta sexta-feira pelo site chinês "PCgames.com.cn".

"Battlefield 4" é ambientado em 2020, quando um comandante militar, o Almirante Chang, planeja um golpe de Estado contra o governo chinês, apoiado pela Rússia e deixando Pequim a beira de uma guerra com os Estados Unidos.O usuário do jogo pode escolher combater ao lado das forças chinesas, russas ou americanas.

Antes do lançamento do jogo, jornais militares chineses tinham criticado seu conteúdo e o classificaram como propaganda estrangeira.
O título em mandarim do game está bloqueado nas redes sociais chinesas, mas alguns jogadores locais conseguiram baixá-lo da internet com outros nomes.