Você sabe qual é o animal que mais salvou vidas humanas?

Não é o cão ou qualquer outro mamífero



Você sabia que existe um animal que é campeão em salvar vidas? Porém, o bicho em questão não é o cão, como muita gente pode ter apostado, nem mesmo o leal cavalo, nem o valente pombo-mensageiro. O salvador vem do mar: é o caranguejo-ferradura, aquele de aspecto pré-histórico que também é conhecido como límulo (Limulus polyphemus).
A indústria farmacêutica utiliza um extrato de seu sangue, o lisado do amebócito do Limulus (ou LAL) para testar medicamentos, vacinas e dispositivos médicos (como rins artificiais) a fim de verificar se estes não estão contaminados. Até hoje, não existe nenhuma outra opção tão simples e confiável quanto o uso do LAL para realizar essas ações.

Os superpoderes do límulo

Os límulos ou caranguejos-ferradura vivem em áreas costeiras rasas que, muitas vezes, são contaminadas, sendo que um litro de água do mar pode facilmente conter milhões de bactérias tóxicas. É sabido que esse caranguejo não tem nenhum sistema imunitário e não é capaz de desenvolver anticorpos para combater infecções.
No entanto, o seu sangue contém um elemento milagroso que coagula em torno de agentes invasores e os dissolve, sendo o principal componente usado na produção de LAL. Com isso, para descobrir se algo destinado a uso médico está contaminado ou não, você só tem que expô-lo ao LAL. Se não coagular, está limpo.

Fonte da imagem: Shutterstock


Ao contrário de seres humanos, o sangue do caranguejo-ferradura não tem hemoglobina, que utiliza ferro para transportar oxigênio, mas hemocianina, que utiliza cobre. E isso explica por que o seu sangue é azul, o que é altamente útil e pode valer cerca de 15 mil dólares o litro.
Mas, calma! Antes que você ache que os bichinhos precisem morrer para isso, saiba que o sacrifício deles não é necessário. Para obter o seu sangue valioso, os caranguejos são “ordenhados” manualmente por profissionais cuidadosos e, apesar de perderem 30% de seu peso, depois eles se recuperaram rápido e são devolvidos à água.
Os caranguejos passam por essa ordenha apenas uma vez por ano, sendo que seu sangue é posteriormente congelado, desidratado e, em seguida, enviado às instituições de pesquisas médicas e laboratórios.

Falso caranguejo

Apesar de ser bem conhecido pelo nome de caranguejo-ferradura, o límulo não é bem um caranguejo e nem mesmo um crustáceo. Na verdade, o animal é um artrópode quelicerado e essa espécie está mais próxima das aranhas e dos escorpiões.
Eles são representantes do mais antigo grupo animal que ainda vive sobre a face da Terra: os Merostomatas, que surgiram há cerca de 300 milhões de anos.
O surpreendente é que, desde o seu surgimento, o límulo não mudou e mantém as mesmas características da época de antes dos dinossauros. O animal suporta um ano sem alimentação e situações extremas de frio e calor. Talvez toda essa resistência seja o segredo de seu sangue precioso.